RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

domingo, 31 de julho de 2016

Após debochar de paciente, médico é afastado do emprego, se arrepende e pede perdão


Guilherme Capel, que debochou de um paciente com a frase: “Não existe peleumonia e nem raôxis” se diz arrependido e pediu perdão pela piada de mau gosto
                          

  O médico Guilherme Capel, conhecido nessa semana em todo o país por debochar de um paciente, se diz arrependido e, pediu perdão para José Mauro de Oliveira Lima, alvo das ofensas. Em entrevista ao site G1, o médico que escreveu em um receituário a seguinte frase: “Não existe peleumonia e nem raôxis”, disse que perdeu os empregos em que trabalhava e afirma que não é preconceituoso.

  Na tarde desse domingo, 31, o médico encontrou com José Mauro, e pediu perdão pelas ofensas. "Eu errei, me arrependi e me sinto mal com isto. Este pedido de desculpas vai a todos os brasileiros que se ofenderam com a brincadeira da "peleumonia". Sr. José Mauro hoje tornou-se meu amigo", escreveu Guilherme Capel em uma foto em que ele abraça o mecânico de 42 anos.

  Além de pedir desculpas pelo ocorrido, Guilherme se ofereceu para tratar de toda a família de José Mauro. "Fui até a casa do mecânico que virou símbolo nacional. Diante da exposição ao hospital Santa Rosa de Lima de Serra Negra gostaria também de me retratar. Como prova disso, fico à disposição da ONG que ajuda este hospital para realizar plantões voluntariados nos quais todo o dinheiro arrecadado será destinado a ONG que ajuda este hospital. Este sou eu: Guilherme Capel Pasqua.

  José Mauro foi diagnosticado com pneumonia na quarta-feira mas já se sente melhor. O mecânico se surpreendeu com a visita do médico. "Ele veio esclarecer o meu entendido, pediu desculpas e eu desculpei. Ele é uma pessoa boa, que teve um momento errado. Ele é novo e vai aprender com o tempo. Não foi nada que a gente não possa perdoar", contou José.

  O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu na sexta-feira (29) uma sindicância para analisar a atitude do médico. O processo pode levar de seis meses a dois anos para ser concluído.
'Existe peleumonia' rebate médica

  A resposta da médica Julia Rocha para a polêmica foi bastante elogiada nas redes sociais e teve mais de 65 mil compartilhamentos no Facebook. A profissional disse que a principal função do médico é ouvir o paciente. Além disso, Júlia usou as oralidades comuns em nossa língua para mostrar sua indignação e encerrar a discussão polêmica nas redes sociais.

  "Existe peleumonia sim. Eu mesma já vi várias. Incrusive com febre interna que o termômetro num mostra. Disintiria, quebranto, mal olhado, impíngi, cobreiro, vento virado, ispinhela caída. Eu tô aqui pra mode atestá. Quem sabe o que tem é quem sente. E eu quero ouvir ocê desse jeitinho. Mode a gente se entendê. Por que pra mim foi dada a chance de conhecê as letra e os livro. Pra você, só deram chance de dizê. Pode dizê. Eu quero ouvir."

Fonte: Jornal do Tocantins

Nenhum comentário:

Postar um comentário