RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Polícia identifica suspeitos da chacina no Coroadinho



Durante a ocorrência, uma criança de 6 anos foi morta com um tiro na cabeça, um adulto também morreu e outras três pessoas foram baleadas; dos quatro envolvidos, um já está preso e outros dois estão identificados

Erik Jonatha Louzeiro Torres, preso por envolvimento na chacina.
Erik Jonatha Louzeiro Torres, preso por envolvimento na chacina. (Foto: Divulgação)

  SÃO LUÍS - A polícia já prendeu uma pessoa e identificou dois suspeitos de promoverem um tiroteio no bairro do Coroadinho, em São Luís, que deixou duas pessoas mortas, entre elas uma criança de seis anos de idade. A situação assustou e causou medo aos moradores do bairro no último domingo.

  As vítimas foram identificadas como Tauã Victor Cardoso Silva, de 6 anos, que morreu a caminho do hospital, e Carlos Magno Soares de Almeida, de 33 anos, que morreu no local do crime. Outras três pessoas foram baleadas e levadas para o hospital.

Prisão

  Na tarde de ontem, policiais do Grupo de Serviço Avançado (GSA) do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM) localizaram e prenderam Erik Jonatha Louzeiro Torres, de 25 anos. Ele foi detido no Coroadinho.

  Assim que ocorreu a prisão, o suspeito foi levado para o 10º Distrito Policial (10º DP). De acordo com o delegado Rondineli Araújo, responsável pela delegacia, os policiais chagaram até ele por meio de denúncias e também das características repassadas pelas testemunhas que batiam justamente com o porte físico do suspeito. Além disso, em seu celular, foi encontrada uma mensagem de voz feita pelos integrantes da sua facção que o ligavam à chacina no Coroadinho.

  Erik Jonatha já tem diversas passagens pela polícia. No ano passado, ele foi preso por porte ilegal de arma de fogo, após ser encontrado com dois revólveres e uma pistola 9 milímetros, roubada de uma base da Aeronáutica no município de Raposa.

  “Ele é responsável por fornecer e alugar as armas para as facções”, explicou o delegado Rondineli Araújo. Além disso, Erik Jonatha foi preso em 2014 pelo crime de roubo qualificado. O suspeito estava em liberdade por força de um alvará de soltura.

  Ainda ontem, o detido seria encaminhado para a Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), onde seria ouvido pelo delegado Arthur Benazzi, que está presidindo o inquérito policial sobre o caso. Assim que ele fosse ouvido e confirmada a sua participação no crime, seria decretada a sua prisão.

Tiros

  A chacina foi registrada por volta de 20h30 de domingo, 22, na Avenida Principal da comunidade Alto Sebastião, no Coroadinho. De acordo com as investigações, Tauã Victor Cardoso Silva foi alvejado com um tiro na cabeça na porta de sua casa.

  Conforme o relato de testemunhas, a criança estava na companhia de seus pais e outras pessoas. Em um determinado momento, os quatro criminosos, um deles encapuzado, chegaram ao local e desferiram vários tiros contra o grupo, que estava em frente à residência.

  “Eles não falaram nada e não deram voz de assalto. Eles vieram a pé, saindo de uma área de mata fechada do Batatã”, disse o delegado Rondineli Araújo. Segundo o delegado, nenhuma das pessoas que foram vítimas dos tiros tinha relação com a criminalidade.

  Um dos tiros atingiu Tauã Victor na cabeça. Ele ainda chegou a ser socorrido e levado para o Hospital Municipal Socorrão I, no Centro, mas chegou sem vida à unidade de saúde. O corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) por volta de 3h40 e, após a autópsia, liberado para a família.

  Uma pessoa identificada como Carlos Magno Soares de Almeida, de 33 anos, também foi atingida por um dos disparos e morreu. O seu corpo também foi levado para o IML e depois entregue para a família fazer o sepultamento.

  Durante a ocorrência, outras três pessoas foram baleadas e socorridas para o Socorrão I. Uma delas, que estava em situação mais grave, foi submetida a um procedimento cirúrgico, pois foi atingida no tórax, mas está fora de perigo. As outras duas foram levadas para o hospital e em seguida receberam alta médica.

  Os criminosos, todos armados, fugiram pelo mesmo local de onde vieram. “Nós suspeitamos que eles utilizaram armas longas, pela descrição das vítimas”, completou o delegado do 10º DP.

Investigações

  Após o crime, o Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim) esteve na região fazendo as análises periciais. A Polícia Militar, por meio da Unidade de Segurança Comunitária (USC), também se fez presente e realizou incursões na tentativa de encontrar os responsáveis pelo delito, mas não obteve êxito na busca.

  As investigações estão sendo feitas pelo 10º DP e pela SHPP. Rondineli Araújo afirmou que outras duas pessoas já foram reconhecidas e identificadas pelas vítimas sobreviventes da chacina. A polícia está à procura delas. Também já foi pedida à Justiça a prisão preventiva de ambas. Ainda não há pistas a respeito do quarto homem que participou do crime.

  As motivações para o delito ainda estão sendo investigadas. Uma das principais linhas é de que o crime de domingo tenha relação direta com outro homicídio ocorrido no Alto do Sebastião há cerca de 15 dias. l

Saiba mais

Mais morte no Coroadinho

  No sábado, um dia antes da tragédia, foi registrado um homicídio no bairro do Coroadinho. A vítima foi identificada como Nelson de Jesus Soares de Matos, de 34 anos de idade, que foi executado com tiros na cabeça em uma via pública. A polícia descartou a possibilidade desse homicídio está relacionado com a chacina do domingo.
Fonte: iMirante.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário