RUA LEÔNCIO PIRES DOURADO EM FRENTE O QUARTEL DA PM

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Ministro do TSE intima Globo, Huck e Faustão a prestar esclarecimentos

O PT pede que Huck fique inelegível ou tenha negado seu pedido de registro de candidatura

© Divulgação

  O ministro Napoleão Nunes Maia, do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), intimou nesta quinta-feira (1º) os apresentadores Luciano Huck e Fausto Silva, além das Organizações Globo, a prestar esclarecimentos sobre um programa veiculado na TV no começo de janeiro.

  Parlamentares do PT entraram com representação no TSE por suposto abuso dos meios de comunicação e de poder econômico praticado pela TV Globo e pelos apresentadores.

  Os petistas alegam que Faustão promoveu Huck "como pré-candidato à Presidência da República, em cadeia nacional, durante entrevista em seu programa dominical veiculado no dia 7 de janeiro de 2018 pela emissora de televisão representada, o que comprometeria a isonomia do pleito que se aproxima".

  "Entendo que, para melhor e mais ponderada apreciação da situação processual e material que ora se manifesta, cumpre determinar, o que ora faço, sejam as partes Representadas regularmente intimadas para manifestarem-se no prazo de 5 (cinco) dias, querendo-o, conforme entenderem de seu direito ou da defesa de seus interesses", escreveu o ministro na decisão.

  O PT pede que Huck fique inelegível ou tenha negado seu pedido de registro de candidatura.

 O PROGRAMA

  Convidado para um quadro do "Domingão do Faustão" (TV Globo), Huck afirmou que não existe "salvador da pátria" capaz de resolver os problemas do Brasil e que é preciso aproveitar o momento de "derretimento da classe política" para "reocupar esse espaço".

  Faustão havia pedido que Huck falasse sobre suas perspectivas e explicasse por que é otimista com o futuro.

  Huck foi sondado por partidos políticos a se lançar candidato à Presidência nas eleições deste ano. Em novembro, publicou um artigo na Folha afirmando que não seria candidato, mas que atuaria na política por meio de movimentos cívicos. 

Com informações da Folhapress.

Nenhum comentário:

Postar um comentário