RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Vereador Carlos Hermes cobra melhorias no CAPS de Imperatriz



O parlamentar destacou as inúmeras denúncias de assédio moral sofrido pelos servidores




  Durante o uso da Tribuna, nesta terça-feira (24) na Câmara Municipal, o vereador professor Carlos Hermes (PCdoB) enfatizou a necessidade de melhorias urgentes no Centro de Atenção Psicossocial de Imperatriz, e destacou as denúncias de assédio moral contra os funcionários por parte da atual coordenadora.

  “Estou trazendo para essa tribuna depoimentos de trabalhadores que lamentavelmente vivem sob assédio moral quase que diariamente. Segundo os servidores, a coordenadora Aparecida, pratica coação no seu exercício de trabalho. Estou falando de alguém que usa a condição de parente do secretário para assediar os trabalhadores e trabalhadoras. Não é admissível que ela trate os funcionários desta maneira!”, ressaltou Hermes.

  Em relação à estrutura física, o vereador destacou que na última semana, o Ministério Público Estadual, através da Promotoria da Saúde, realizou uma vistoria onde foram detectadas diversas irregularidades. Foram encontrados problemas em portas, janelas, bebedouros enferrujados, colchões velhos, roupas de cama em estado precário e o teto com infiltração e muito mofo.

  O Centro de Promoção da Cidadania e Defesa dos Direitos Humanos Pe. Josimo (CPCDDHPJ) também redigiu um relatório com diversas problemáticas observadas no serviço, dentre elas a redução do número de funcionários, precariedade estrutural e assédio moral por parte da coordenação.

  De acordo com a coordenadora do Centro de Defesa, Conceição Amorim, autora da denúncia, um dos problemas mais graves do CAPS tem a perseguição aos trabalhadores, desvio de função e até ausência de fornecimento de água filtrada aos pacientes. O promotor de justiça da saúde, Newton Bello, será o responsável pelo caso.

  Atualmente, o Caps III possui cerca de 200 usuários cadastrados e os atendimentos são realizados em um prédio da prefeitura de Imperatriz, onde fica localizado o Complexo de Saúde Anhanguera. São oferecidas consultas, terapias e acolhimento de casos graves e persistentes de transtorno mental. De acordo com a coordenação, o centro tem seis pacientes internos.




Assessoria – Brenda Herênio



Publicidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário