RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Aluno de 14 anos mata a tiros colegas em escola de Goiânia


Estudante abre fogo em sala de aula, deixando dois mortos e quatro feridos. Filho de policiais militares e alvo de bullying na escola, ele pegou arma em casa e disse ter se inspirado em massacre nos EUA, revela polícia.
Mortes em colégio chocaram a cidade de Goiânia nesta sexta-feira

  Um estudante de 14 anos abriu fogo nesta sexta-feira (20/10) dentro de uma sala de aula do Colégio Goyases, em Goiânia. Segundo autoridades, dois alunos morreram e outros quatro ficaram feridos.

  A Polícia Militar informou que o suspeito, que foi impedido por alunos e professores quando tentava recarregar a arma e depois levado a uma delegacia, cursa o oitavo ano na escola e é filho de policiais militares.

  O portal de notícias G1, citando testemunhas, informou que os disparos ocorreram pouco antes do meio-dia (horário local). O adolescente estava na sala de aula e, no intervalo, quando a professora saiu, tirou a arma da mochila e disparou contra os colegas.

  Dois meninos, que teriam 12 e 13 anos, morreram no local, informou a Polícia Militar. Outros quatro estudantes, sendo três meninas e um menino, ficaram feridos e foram levados a hospitais da cidade. Ao menos três estão em estado grave. Todos cursavam o oitavo ano.

  O adolescente já foi ouvido pelas autoridades. Segundo o delegado Luís Gonzaga, da Polícia Civil de Goiás, a arma usada no ataque era uma pistola que pertencia à mãe do estudante, que é policial militar. Ele disse ter achado a arma escondida em um móvel da casa. Os pais negam ter ensinado o menino a atirar.

  Ainda de acordo com Gonzaga, o suspeito confirmou que o crime foi motivado por bullying e disse ter se inspirado nos massacres da escola de Columbine, em 1999, nos Estados Unidos, e de Realengo, em 2011, no Rio de Janeiro.

  Em seu depoimento, o estudante relatou que tinha intenção de matar apenas um colega que praticava bullying contra ele, mas, no momento do ataque, sentiu vontade de fazer mais vítimas, afirmou o delegado.

  Testemunhas contaram a repórteres no local que o suspeito era vítima de chacotas por não usar desodorante. Segundo os estudantes, ele não escolheu alvos, simplesmente começou a atirar. Ao jornal Folha de S. Paulo, alunos contaram que o atirador é "muito inteligente e muito calado". 

  O Colégio Goyases é uma escola particular de educação infantil e ensino fundamental, localizada no Conjunto Riviera, um bairro de classe média na capital de Goiás. A administração da escola informou que por enquanto não se manifestará sobre o ocorrido.

  O presidente Michel Temer manifestou pesar pela tragédia e ofereceu solidariedade às famílias das vítimas. Já o governo de Goiás decretou luto oficial de três dias no estado em razão do "lamentável acontecimento". 

Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário