RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Pessoas tinham medo de ir no Socorrão na gestão do ex-prefeito Ildon Marques


  A administração da Secretara Municipal de Saúde de Imperatriz, na gestão do ex-prefeito Ildon Marques (PSB), foi um verdadeiro caos que lhe rendeu denúncias e até uma condenação em função do descaso no tratamento de pacientes no município.

  Buscando novamente voltar a Prefeitura, o agora candidato do PSB em seu programa no horário eleitoral gratuito defende a modernização do sistema, a construção de novos hospitais e o fim da espera por atendimento. Porém, a população não esqueceu que nas duas oportunidades que teve como prefeito sua administração virou alvo do Ministério Público.

  O segundo mandato como prefeito de Ildon Marques começou em 2005 e foi marcado pelas denúncias de corrupção, favorecimento de aliados e o sucateamento de unidades. Já no ano seguinte a ex-secretária de saúde Iracilda Viana foi a imprensa afirmar que Ildon promovia uma operação desmonte na estrutura de atendimento da saúde do município para favorecer os hospitais da rede privada. Entre as unidades de saúde “sucateadas” na época o Hospital Municipal (Socorrão). Segundo ela, houve na unidade um aumento de mais de 50% no número de óbitos registrados. A ex-secretária costuma dizer que as pessoas tinha medo de ir para o Socorrão com medo de morrer.

  De janeiro de 2006 a janeiro de 2007, o Ministério Público de Imperatriz teve de acionar o prefeito Ildon Marques 14 vezes para obrigá-lo a internar, dentro ou fora do estado, crianças que precisam de tratamento especializado.

  O socialista foi condenado pela justiça por ato de improbidade administrativa, por descumprir de modo deliberado e injustificado, sucessivas decisões judiciais referentes ao processo em que a Prefeitura de Imperatriz, a União e o Estado do Maranhão foram condenados a implementar medidas para a ampliação dos leitos no Socorrão.

  Se atualmente Imperatriz sofre com diversos problemas na área da saúde, na época do ex-gestor a situação era muito pior, porque além dele não aumentar o atendimento, ainda existia muitos casos obscuros que não foram investigados mais detalhadamente.


Fonte: Asmoimp

Nenhum comentário:

Postar um comentário