RUA LEONCIO PIRES DOURADO ESQUINA COM A RUA JOÃO PESSOA, BAIRRO BACURI

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Neymar rebate crítica sobre comportamento


Jogador se incomoda com pergunta "maldosa" de desabafo após Copa América e diz que dentro de campo se doa muito
                            
                       Neymar ouve o técnico Rogério Micale (D) durante treinamento da equipe



  Uma pergunta sobre seu comprometimento com a Seleção Brasileira, baseada no histórico desde a Copa do Mundo, fez Neymar se aproximar de perder a compostura ontem. O atacante do Barcelona foi lembrado sobre cartões, suspensões, vida fora de campo e seu desabafo depois da perda da Copa América 2015.

  Na resposta, Neymar pediu que o repórter (Silvio Barsetti, do Portal Terra) olhasse em seus olhos. Disse ainda que a pergunta era maldosa, mas que ele não iria devolver na mesma moeda. Por fim, questionou: "imagina você com 24 anos, ganhando tudo que eu ganhei, tendo tudo o que eu tenho. você seria igual a eu? valeu! próxima pergunta", complementou.

  "Olha, acho que você tem que começar a ver as coisas que passo dentro de campo. As coisas particulares, de quando estou fora de campo, compete só a mim. Estou falando com você, pode me olhar, por favor? Olha no meu olho, para criar um clima de amigo, por favor. Não tem por que ficar bravo. Tenho minhas conquistas, tenho minhas coisas. Sou tranquilo quanto a isso. Pode me criticar, sou um cara tranquilo. Eu gosto de sair, ir às baladas, e eu posso ir, sim. Não vejo problema nenhum. Sabendo o dever do dia seguinte. Agora, dentro de campo sempre me entrego, dou meu máximo. Acabo errando sim, e ainda vou errar muito. Não é por que sou o mais experiente aqui que sou perfeito", declarou Neymar.

  Na entrevista coletiva, a primeira desde que chegou a Teresópolis, o atacante ainda falou sobre suas impressões quanto à equipe, negou se preocupar em ser ou não o dono da braçadeira de capitão, disse que não se sente o 'presidente' do grupo de jovens e admitiu: deu conselhos para Gabriel Jesus a respeito do Barcelona, um dos interessados.

  "Falei sim, claro. Falo para ele e para todos sobre como é jogar no Barcelona. Sobre como é viver na cidade. Ele é um grande jogador. Todos querem ele. Falei que ele seja feliz e, se tiver que sair agora, ou mais pra frente, tem que saber o momento certo. Os bons jogadores queremos do nosso lado. Se ele fosse ao Barcelona, seria muito feliz. Além de ser um dos maiores clubes do mundo, quiçá o maior, o ambiente no grupo é maravilhoso. Levar (para lá) já não é comigo", afirmou Neymar.

  "Olha, o capitão ainda está na mão do Micale. Isso não me preocupa. Independente de quem seja, a gente tem liberdade para estar conversando, auxiliando a equipe. Independente de quem use a braçadeira, isso é mais simbólico, todos têm papel importante dentro de campo.

Fonte: Jornal do Tocantins

Nenhum comentário:

Postar um comentário